Marketing de conteúdo: qual o primeiro passo?

Antes de tudo, você sabe o que é Marketing de Conteúdo? Marketing de conteúdo é uma ferramenta usada por empresas que desejam engajar com seu público-alvo por meio de conteúdos relevantes, ou seja, uma estratégia diferente em relação ao que é usado pelo marketing tradicional. O advento da internet aliada a novas formas de comunicação fez com que o comportamento das pessoas mudasse gradativamente ao longo do tempo, levando a diminuição da eficácia que o modelo tradicional de marketing apresentava.

Um dos principais fatores que contribuíram para essa mudança de comportamento está ligado a interrupção, que é a premissa do marketing tradicional. O intervalo comercial da TV, as ligações de call center com foco na venda de produtos e serviços, os folhetos entregues no semáforo, as propagandas que antecedem os vídeos no Youtube: todas essas ações, previstas no modelo antigo de comunicação, são exemplos de como a interrupção pode atrapalhar de alguma forma a rotina e desviar a atenção do que estamos fazendo naquele momento que essas ações chegam até nós.

Pular anúncio

Os altos custos de ações, como as mencionadas acima, juntamente com o índice de rejeição das pessoas em relação às mesmas fez com que a jornada de decisão e de compra dos consumidores mudasse ao longo do tempo. E é justamente nesse ponto que a nova abordagem do marketing começa a fazer sentido para as empresas que decidem falar com o seu público de uma forma inovadora, sem aquela antiga e batida comunicação orientada a pura e simples propaganda.

“A venda é uma consequência para o Marketing de Conteúdo. Quando o consumidor estiver pronto para a compra, ele irá atrás de você. Ninguém quer ser um target. Se você faz seu público se sentir assim, seu fluxo de caixa está em risco.” Diego Gomes

O Marketing de Conteúdo é uma ferramenta aliada dessa nova forma de comunicação entre empresas e pessoas. Ao invés de interromper o consumidor com uma ação inconveniente, as empresas que resolvem fazer diferente, apostando no oferecimento de conteúdos relevantes e de qualidade, passam a auxiliar esses consumidores a se decidirem se devem ou não adquirir um determinado produto ou serviço . Mesmo que eles optem por não adquirir naquele momento, é certo que quando esse momento de decisão chegar a sua marca será lembrada mais facilmente, uma vez que você ofereceu assuntos interessantes ao longo do tempo para o seu possível cliente.

⇒ Confira alguns dados da ContentTrends 2016, realizada pela Rock Content, e entenda a razão pela qual você deve investir em  Marketing de Conteúdo:

* Empresas que publicam conteúdo em blogs geram até 3,7 mais visitas.
* A publicação de mais de 12 conteúdos por mês geram o dobro de tráfego em sites e blogs.
* 50% das empresas brasileiras aumentaram os investimentos em Mkt de Conteúdo no último ano.
* 67% das empresas entrevistadas devem aumentar os investimentos em Mkt de Conteúdo em 2017.

Portanto, o primeiro passo do Marketing de Conteúdo é justamente mudar essa maneira de pensar: apostar em uma forma de comunicação mais assertiva e que de fato entregue valor e ofereça uma experiência positiva ao seu cliente. Para atingir esse objetivo, é possível trabalhar com blog post, ebook, podcast, vídeos, webinar… enfim, existem diversos meios de se comunicar com o seu público-alvo. Para que você conheça melhor cada um deles, iremos explicá-los ao longo do próximo mês. Por isso, fique atento e continue acompanhando nossas atualizações.

Blog

Apesar de o seu uso ter sido banalizado por muitas pessoas, que passaram a desacreditar de sua eficiência desta ferramenta, o blog (como falamos aqui) é considerado uma principais estratégias relacionadas ao Marketing de Conteúdo. Prova disso é que empresas que possuem blogs geram 67% mais leads em relação às que não possuem, e 70% dos consumidores na internet preferem conhecer uma empresa através de conteúdo do que de publicidade. (Estatísticas retiradas do Viver de Blog).

Mas ao contrário do que muitos pensam, ter um blog não é simplesmente publicar textos aleatórios sobre o assunto da sua área de atuação. Para ter sucesso e alcançar os resultados esperados é preciso que haja planejamento e conteúdos de boa qualidade, pensados de acordo com o seu público-alvo. Esse tipo de ação consegue gerar engajamento, relacionamento e identificação junto às pessoas que acompanham esse espaço dedicado ao seu negócio.

Além de planejamento e bons conteúdos, é preciso também estar atento quanto a otimização em SEO a fim de conseguir tráfego para o seu blog. Aliado a isso, estratégias de comunicação via email marketing e mídias sociais também contribuem para esse aumento de tráfego. Mas esses serão assuntos para próximas conversas por aqui.

Por hora, o que precisa ficar claro é que o blog pode representar a chance de chegada de novos clientes. Seja relevante, mantenha um bom relacionamento e conquiste a atenção do seu público-alvo. Todos esses passos são essenciais para que o usuário se torne um lead e possivelmente, em algum momento, um cliente do seu negócio.

E então, já possui um blog ou ficou interessado em criar um para a sua empresa? Fique atento a essas dicas para que o seu plano de ação seja eficiente e alcance os resultados esperados.

Aposte na regularidade das postagens

Ter uma regularidade quanto às postagens de um blog é fundamental para que a estratégia de conteúdo funcione. De nada adianta criar um blog hoje, fazer uma postagem de estréia amanhã e depois só voltar a atualizá-lo daqui um mês. Para encontrar o período ideal entre um post e outro faça uma análise que leve em consideração o tamanho da empresa, como é o trabalho nesse sentido dos seus principais concorrentes e qual seria a periodicidade ideal, baseada na equipe de trabalho disponível, para que a qualidade dos textos não seja afetada. Os índices quantitativos e qualitativos precisam andar de mãos dadas, nunca se esqueça disso!

Planeje suas pautas

Para que a eficiência da sua estratégia de conteúdo no blog seja alcançada, os assuntos tratados nas postagens não podem ser de temas aleatórios, que em nada tem a ver com o seu negócio. Procure sempre manter o foco no tema central, normalmente alinhado a área de atuação da empresa, e tenha sempre isso em mente ao sugerir novas pautas. Uma boa saída para isso é fazer um planejamento mensal de quantos textos serão lançados, pois assim as chances do seu blog se tornar repetitivo e sem periodicidade também diminuem. Ah! E nesse momento de planejamento leve em conta fazer buscas no Google relacionados ao nicho e ao tema que deseja abordar no seu blog para que ele seja encontrado de maneira mais fácil pelo público interessado no assunto.

Aposte em tipos de comunicação variados

Na internet, o comportamento de leitura das pessoas é bem diferente do que acontece com jornais e revistas, por exemplo. Por isso, é importante ter atenção quanto a estrutura dos conteúdos postados. Blocos de textos muito grandes ou tamanho de fontes muito pequenos normalmente afastam os usuários do conteúdo. Estratégias, como o uso de subtítulos, bullets, imagens e formas de conferir destaque (com negrito e itálico) auxiliam no enriquecimento, e consequentemente, na atração da atenção dos leitores.

Bem, vamos ficando por aqui hoje. Mas na próxima semana estaremos de volta apresentando as melhores práticas de otimização de conteúdo, SEO, e como isso pode ajudar a alavancar os seus conteúdos. Até lá!

SEO: faça com que sua empresa seja encontrada na internet

Que a internet faz parte da vida de todos não é uma novidade para ninguém, não é mesmo? Mas quando nos deparamos com números absolutos, temos a real dimensão de quanto estamos conectados. Para se ter uma ideia, no exato momento em que este texto está sendo escrito

⇒ Existem 1.121.337.835 sites ativos na internet

⇒ Mais de 2,5 bilhões de pesquisas já foram feitas no Google desde o início do dia

⇒ Mais de 2.450 posts para blog já foram redigidos

Realmente são marcas que impressionam! Por isso, se você deseja que a sua empresa seja encontrada nessa infinidade de possibilidades oferecidas no meio digital é preciso que uma estratégia muito eficiente de Marketing seja implementada o quanto antes!

Ao longo das duas últimas semanas, falamos sobre a importância do Marketing de Conteúdo como forma de engajamento com o público-alvo por meio de conteúdos relevantes e também como o blog pode ser uma poderosa ferramenta de relacionamento com os clientes que desejam acompanhar mais perto o seu negócio. Agora, seguindo esta linha de planejamento estratégico voltado para o Marketing de Conteúdo, vamos mostrar porque o SEO é valioso para que a sua empresa seja encontrada na internet.

O SEO (Search Engine Optimization) é o processo de otimização realizado em páginas web com o objetivo de fazer com que as pessoas as encontrem de forma mais fácil quando realizarem pesquisas em motores de busca, como Google e Yahoo.

Essa ação de aprimoramento acontece por meio de um conjunto de boas práticas destinadas ao blog propriamente dito e também aos conteúdos divulgados. Assim, quanto mais bem colocado nas pesquisas, melhor são estratégias de otimização utilizadas pelas empresas que lá estão. Conheça a seguir seis dicas para acertar no momento de fazer o SEO para blog (SEO on Page).

1) A busca por palavras-chave (keywords)

Esse é o primeiro passo para começar o trabalho de otimização de um blog, uma vez que é considerada a base tanto para atividades relacionadas ao marketing digital quanto às práticas de SEO. As pesquisas por palavras-chave ajudam, no primeiro momento, a entender melhor o comportamento do seu público-alvo, facilitando a previsão de possíveis tendências e alterações que sempre acontecem nesse mercado digital. Além disso, um trabalho de busca de keywords bem feito consegue aumentar a eficiência da otimização voltada para o aumento do tráfego de uma página web.

O trabalho de busca por palavras-chave também é essencial para o momento de planejamento das pautas que serão abordadas no blog e ajudam no direcionamento do que as pessoas mais buscam em relação ao assunto pesquisado. Ferramentas, como Keyword Planner e Google Webmaster Tools, ajudam bastante nesta tarefa de entender o que as pessoas querem, o que estão buscando e como anda o seu desempenho de otimização.

palavras-chave

2) A importância do título

Parte fundamental de uma estratégia de blog, os títulos conseguem conferir destaque aos conteúdos publicados além de alavancar os resultados em sites de busca, como o Google. Para alcançar esses dois objetivos, existem também duas maneiras distintas de pensar na construção de títulos: uma voltada o próprio blog e outra para os mecanismos de busca.

Título da página

É o elemento mais importante para a otimização On Page. Caracterizado por uma propriedade do código HTML, é ele quem aparece naquela frase principal quando fazemos pesquisas nos motores de busca. A fim de melhorar o ranqueamento, procure descrever de forma precisa o assunto da página em até 63 caracteres, onde as palavras mais importantes sejam colocadas logo no início, uma vez que elas apresentam maior relevância que as últimas.

Título da página: Funil de Vendas: o que é e como funciona (Resultados Digitais)

título de página

Título de posts

Bons textos merecem dedicação quanto a escolha de títulos atrativos e que despertem a atenção do público-alvo. Por isso, a pesquisa por palavras-chave além de buscas relacionadas ao assunto podem ajudar a entender o que as pessoas mais procuram e como elas o fazem. Procure se lembrar disso quando for escrever o seu próximo texto.

Título do post: O que é e para que serve um funil de vendas? (Resultados Digitais)

titulo de post

3) Meta Descrição

A meta descrição é um pequeno texto, com 155 caracteres em média, usado para descrever o assunto de uma página na web. Apesar de não ser um fator decisivo para o bom ranqueamento no Google, ela é importante para ajudar os usuários a entenderem o assunto tratado nos artigos que aparecem no momento da busca. Portanto, a meta descrição pode ser um elemento a mais para ajudar a convencer as pessoas de abrirem a sua página.

4) URL

O endereço da página é um dos elementos usados pelo Google no momento que uma busca é feita pelo usuário. Portanto, tornar a URL “amigável” também é importante para que a sua página seja encontrada mais facilmente além de ajudar a identificar o assunto abordado. Para não deixar que as suas URLs apareçam dessa forma: http://site.com.br/6d667d677s78id=? mas assim http://site.com.br/nome-do-post confira algumas dicas práticas para otimizar os endereços na web:

⇒ Evite URLs muito longas

⇒ Lembre-se de incluir a palavra-chave do texto

⇒ Use hífen para separar as palavras

⇒ Evite o uso de acentos e letras maiúsculas

5) Imagens

Como todos sabem, as imagens são ótimas alternativas para quebrar a leitura e facilitar que o leitor chegue até o final da sua postagem, evitando o tédio. Mas elas também podem ajudar a fazer com o que o seu conteúdo seja encontrado na internet. Para isso, quando inserir uma imagem, fique atento quanto ao nome do arquivo, o texto alternativo (ALT text) e a legenda: todos esses elementos ajudam na otimização das imagens, e consequentemente, do seu texto.

6) Links internos

Os links internos são aqueles links que são inseridos nas postagens e apontam para outros textos dentro do próprio blog. Se você já trabalha com postagens há algum tempo, e tem a disposição conteúdos para trabalhar com linkagem interna, saiba que essa é uma estratégia muito relevante para a otimização do seu blog. Lembrando, que os links precisam estar contextualizado com o assunto que está sendo falado a fim de atrair a atenção dos seus visitantes.

links internos

Essas são algumas dicas importantes relacionadas ao SEO que você precisa levar em conta para uma estratégia de blog eficiente.

Lembre-se sempre: a experiência dos usuários com a sua página e o conteúdo nela oferecido precisa ser a melhor possível, pois só assim você conseguirá despertar e atrair a atenção das pessoas, aumentando a sua relevância no seu nicho de atuação.

Bem, por hoje ficamos por aqui. Na próxima semana estaremos de volta para falar sobre os materiais ricos (ebooks, podcasts, webinars, etc) e como eles podem ser usados dentro do Marketing de Conteúdo. Até lá!

Materiais Ricos

Os materiais ricos são parte fundamental de uma estratégia de Marketing de Conteúdo eficiente. E o motivo dessa importância se dá pelo fato desses conteúdos serem responsáveis pela maior parte dos leads gerados em campanhas de marketing digital. Normalmente, o primeiro contato registrado com as pessoas interessadas no produto ou serviço oferecido pelas empresas na internet chegam através desses materiais, por isso é essencial a criação de conteúdos educativos, que aprofundem o conhecimento a respeito de assunto a fim de agregar valor para o cliente e gerar autoridade para o negócio.

Ebooks, podcasts, webinars, infográficos são os exemplos mais comuns de materiais ricos utilizados como isca para geração/nutrição de leads. Geralmente ofertados através de Landing Pages, eles podem ser utilizados em todas as etapas do funil voltado para marketing e vendas, que consiste em um modelo que representa a jornada do cliente desde o primeiro contato com a sua empresa até o momento da compra. E é justamente por conseguir mapear todos esses pontos de contato existentes nessa relação que o funil de marketing e vendas, aliado a estratégia de conteúdos ricos, tem tamanha importância para a eficiência do Marketing de Conteúdo.

Funil-de-vendas-marketing

Conheça a seguir um pouco mais sobre os principais tipos de materiais ricos e como eles podem ser utilizados pelo seu negócio a fim de conquistar novos clientes.

Ebook

Considerada uma das táticas mais eficazes do Marketing de Conteúdo, o ebook é uma ótima alternativa para aqueles posts de blog extensos. Por envolver certo tempo de pesquisa e também conhecimento por parte do produtor de conteúdo, esse tipo material consegue transmitir uma sensação de confiabilidade nos seus leitores.

Um dos principais benefícios do ebook diz respeito à facilidade de divulgação desses materiais, principalmente nas redes sociais. Basta uma boa imagem atrelada a um título que desperte atenção e curiosidade para que as pessoas se sintam atraídas a baixarem, e consequentemente, compartilharem esses conteúdos. Além disso, o custo envolvido na produção é baixo, quando comparado aos demais tipos de materiais ricos, uma vez que a infraestrutura exigida envolve, em geral, quatro etapas: pesquisa, escrita, diagramação e divulgação.

Ah! Mas se você não é o mestre do design, não se preocupe. Já existem disponíveis na internet templates voltadas para a diagramação de ebooks.

Podcast

Inspirado nos programas de rádio e febre nos anos 90, o podcast é uma forma de oferta de conteúdo muito interessante, visto o crescimento da mobilidade proporcionada principalmente pelos smartphones.

Para criar um bom Podcast é preciso, primeiramente, delimitar o tema que será abordado e pensar no formato de como será o seu programa. Geralmente, o tempo de duração de podcasts variam entre 10 e 20 minutos, porém se você atuar em algum segmento ligado ao entretenimento esse tempo pode ir além desses 20 minutos.

Para a gravação, fique atento quanto a três pontos essenciais para uma boa condução do programa: roteiro, microfone e programas de gravação e edição. Com um roteiro bem estruturado (que organize todas as suas ideias), um microfone de qualidade (para que o áudio captado seja agradável e sem ruídos) e um programa que permita captar e editar o áudio gravado, o seu podcast tem tudo para ser um sucesso junto ao seu público-alvo.

Webinar

O webinar, caracterizado como um tipo de conferência online e utilizado normalmente na última etapa do funil de marketing e vendas, tem como principal ponto forte a sensação de proximidade entre os clientes em potencial e a empresa. Por ter um especialista como principal personagem, esse tipo de conteúdo rico consegue conferir confiabilidade junto ao público e também gera referência perante o seu mercado de atuação.

Quanto melhor a produção, melhor a imagem que a imagem que o seu negócio passará. Por isso, a qualidade de vídeo e áudio são fatores importantes quando o assunto é a produção e gravação de um webinar. Do ponto de vista do formato, é possível que esse tipo de conteúdo seja gravado ou ao vivo, onde a segunda opção se torna mais atrativa justamente por aproximar as pessoas do conteúdo, uma vez que é possível tirar dúvidas em tempo real junto ao condutor do material.

Infográfico

Um formato de conteúdo muito didático e que consegue prender facilmente a atenção das pessoas, o infográfico combina dados interessantes e design a fim de cativar e oferecer informação relevante ao seu público-alvo.

Utilizada normalmente quando existem muitos dados numéricos ou ainda quando há alguma demanda que exija um passo a passo, esse tipo de material rico consegue facilitar a leitura por meio de informações oferecidas por meio dos formatos visual e escrito. Aí você pode estar pensando: “mas eu não tenho muita habilidade com ferramentas de criação e edição de imagens, como vou conseguir criar um infográfico”? Não se preocupe! Já existem muitas ferramentas, online e gratuitas, disponíveis para te ajudar nessa missão.

Um universo de possibilidades

Existem muitas possibilidades dentro do universo dos materiais ricos. Essas que apresentamos aqui são as mais tradicionais, mas nada impede que você crie outros formatos de conteúdo. Na verdade, tudo irá depender da estratégia de Marketing de Conteúdo que você deseja adotar para a sua empresa e também do perfil do público-alvo característico do seu segmento de atuação.

Na próxima semana vamos falar sobre a importância das Landing Pages e como elas podem te ajudar a alcançar os resultados esperados a oferta e divulgação de conteúdos. Até lá!

 

Landing Page 

Quando um empreendedor quer utilizar toda a força do marketing de conteúdo em seu negócio, ele precisa ter em mente que landing pages bem feitas são nada menos que uma das armas mais poderosas do seu arsenal.

A lógica é bem simples: de nada adiantará ter um blog extraordinário se, no momento de converter desconhecidos em leads, sua landing page falhar.

Ainda não está muito familiarizado com termos como “landing page” e “leads”? Entenda aqui o que é e como criar uma para seu negócio!

O que é uma landing page?

Uma landing page nada mais é que uma página onde determinada oferta será exibida. Ao contrário do que o senso comum imagina, a “oferta”, no caso, não tem nada a ver com dinheiro. Tudo o que queremos é o “lead”, ou seja, o email de um usuário interessado naquilo que estamos vendendo.

Para conseguir esse contato, é possível utilizar uma estratégia muito simples: o oferecimento de uma oferta digital — seja ela um ebook, um webinar, uma aula ou qualquer outra coisa que possa chamar a atenção da persona.

Do que é composta uma landing page?

Apesar de ser muito importante para qualquer estratégia inbound, a landing page possui estrutura bastante simples e enxuta.

Como o seu único objetivo é fazer com que o usuário aceite a oferta que está sendo proposta, toda a configuração da página precisa ser “clean”, de modo que o leitor não perca o foco.

Uma boa landing page é composta, basicamente, por uma imagem que representa a oferta digital, seguida de 3 ou 4 informações resumidas sobre o que o leitor pode esperar daquele conteúdo e um formulário onde ele colocará suas informações de contato.


creditos-rd-station

Por que ter boas landing pages é tão importante?

O marketing de conteúdo é um processo que visa transformar desconhecidos em visitantes, visitantes em leads, leads em compradores e compradores em promotores da sua marca.

Sendo assim, não é tão difícil concluir que as landing pages sejam agentes fundamentais no momento de converter visitantes em leads. 

Sem uma boa landing page, sua estratégia simplesmente ficará travada nesse ponto. Até é possível ter bom tráfego e engajamento em seus blog posts, mas isso não significa muita coisa sem uma boa lista de emails qualificados.

4 Dicas matadoras para criar boas landing pages

Agora que já está mais claro o que é uma landing page e por que ela é tão relevante para o marketing digital, confira 4 dicas incríveis para quem pretende acertar em cheio na hora de criar excelentes páginas de captura:

Mostre o valor da sua oferta

No momento de criar uma boa landing page, invista em bom título aliado a uma imagem de qualidade. Além disso, deixe, em tópicos, 3 ou 4 informações interessantes que o seu lead poderá aprender baixando aquele conteúdo.

Por exemplo: “Veja como emagrecer 3kg por semana seguindo este programa”, “aprenda as 3 formas de ganhar dinheiro com o tesouro direto” etc.

Remova as distrações

A landing page tem um só objetivo: fazer com que o usuário deixe suas informações e baixe sua oferta.

Nada de muitos botões, menus ou textos. Faça o simples. Os poucos elementos da página devem unir esforços para que aquele visitante seja convertido em lead.

como-nao-fazer-uma-landing-page-creditos-webbase

Não deixe o usuário pensar demais

A landing page não é um lugar para dubiedades. Aposte em uma chamada clara, teste diferentes cores para os botões da página e tenha a certeza de não estar sendo ambíguo em nenhuma informação passada naquele local. 

Peça somente informações relevantes

No momento de solicitar o email do usuário, também é possível solicitar outras informações, tais como nome, idade, sexo, localização etc.

O importante é tomar muito cuidado para pedir somente aquilo que for essencial para o seu negócio. Já está provado que formulários compridos demais baixam drasticamente a conversão de uma landing page.

As peças fundamentais

As landing pages, como já dito, são peças fundamentais em quaisquer estratégias sérias de Inbound Marketing. Por isso, caso tenha restado alguma dúvida, deixe um comentário abaixo e responderemos o mais rápido possível!

Na semana que vem falaremos sobre o e-mail marketing. Você já o utiliza em suas estratégias? Sabia que ele apresenta um incrível ROI (Retorno Sobre Investimento) médio de 4300%?

E-mail Marketing  


Esta e outras curiosidades sobre a ferramenta você confere no próximo texto da nossa série sobre marketing de conteúdo!

Dando sequência aos nossos artigos que estão mostrando alguns dos aspectos mais importantes do marketing de conteúdo, hoje vamos falar do e-mail marketing, essa ferramenta imprescindível para quem quer ter sucesso com um negócio digital.

Enquanto uma boa landing page garante que os seus visitantes transformem-se em leads, a ferramenta de e-mail marketing trabalha para garantir que seus leads tornem-se compradores.

Mas vamos começar do início: afinal, o que é e-mail marketing?

O que é e-mail marketing?

Email marketing é uma ferramenta utilizada por empreendedores para enviarem conteúdos para o e-mail de seus leads. Segundo algumas pesquisas de mercado, empresas alcançam até 4300% de ROI (retorno sobre investimento) utilizando esse recurso.

Alguns motivos para que as mensagens não sejam enviadas diretamente de um serviço padrão de e-mail (Hotmail ou Gmail, por exemplo):

  • Quando um negócio começa a crescer, é inviável enviar mensagens customizadas para cada um de seus leads. Precisamos de uma plataforma que facilite o trabalho;

  • Quando enviamos muitas mensagens parecidas para contatos diferentes (sem utilizar uma ferramenta de e-mail marketing), os servidores logo reconhecem essa prática como “spam”, fazendo com que os conteúdos acabem fora da caixa de entrada dos usuários;

  • Se queremos efetividade no marketing de conteúdo, é preciso analisar métricas, fazer testes A/B e separar usuários em diferentes etapas do funil — aspectos indisponíveis quando as mensagens são enviadas de um servidor padrão de e-mail.

Como fazer e-mail marketing: as boas práticas da ferramenta

Agora que já sabemos por que é preciso contratar um serviço especializado, vamos às famosas “boas práticas” da ferramenta!

marketing-2015

Dicas básicas

Antes de qualquer coisa, é preciso escolher um bom Email Service Provider (ESP), que nada mais é que a plataforma parceira que nos fornecerá o serviço.

Pesquise bastante antes de fazer a contratação, se o seu ESP estiver em blacklists da web, pouco vai adiantar contar com a ferramenta: seus e-mails quase sempre cairão na caixa de spam dos usuários.

Mas não se preocupe: em uma rápida pesquisa é possível encontrar ótimas ferramentas por um preço bem acessível.

Feita a escolha do ESP, agora é o momento de criar um e-mail personalizado. Nessa etapa, é preferível a utilização do seu nome (nome@suaempresa.com) em vez de algo mais formal como “contato@suaempresa.com.br”. Alguns estudos comprovaram que os usuários são mais receptivos às mensagens de pessoas que às mensagens de marcas.

Criando conteúdos que cativam

Seguindo a regra de ouro do marketing de conteúdo, é claro que não é recomendado ficar enviando ofertas o tempo todo para o seu lead… É preciso ser relevante, cativar através de conteúdos de ponta.

Faça uma ampla pesquisa sobre histórias, cases e informações que interessem muito à sua persona. Depois disso, dê o seu melhor para criar um conteúdo memorável, inesquecível.

Assim começam a ser criados alguns laços de confiança com a sua audiência, que cada vez ficará mais receptiva às mensagens.

Quando for o momento, enviamos ofertas e promoções. O ideal é que a Regra de Pareto seja seguida: pelo menos 8 conteúdos relevantes para cada 2 ofertas de produtos ou serviços.

Regra de Pareto: princípio observado empiricamente e aplicado em diversos segmentos da sociedade. No marketing de conteúdo, é a regra que ficou conhecida por pregar que, a cada 10 ofertas enviadas aos seus leads, pelo menos 8 delas precisam ser conteúdos relevantes ao público.

Cada e-mail, um objetivo

Por último, outra grande dica que podemos dar é: tenha sempre um objetivo com cada e-mail enviado.

Não faz sentido sentar-se em frente ao computador para escrever um conteúdo de qualidade se não sabemos de que maneira aquilo ajudará o seu empreendimento a prosperar. Lembre-se de que um negócio precisa gerar lucros para continuar existindo.

Sendo assim, esteja sempre consciente e perguntando-se sobre qual é o objetivo de cada peça de e-mail criada.

Você quer que o seu lead veja um vídeo? Quer que ele clique em um link? Quer aumentar sua autoridade no mercado? Muitas podem ser suas motivações… Escolha somente uma para cada e-mail e faça com que o conteúdo e o formato daquela peça trabalhem para alcançar o objetivo final.

Métricas no e-mail marketing: avaliando seus resultados

É claro que, como sempre acontece no marketing de conteúdo, as métricas importam bastante. Abaixo estão alguns indicadores que obrigatoriamente precisam ser considerados:

Taxa de abertura: a taxa de abertura é a divisão de pessoas que abriram o e-mail por pessoas que apenas o receberam. Essa métrica diz, basicamente, se a headline (título) da sua mensagem foi boa ou se precisa ser repensada da próxima vez.

Uma boa taxa de abertura é de, pelo menos, 20%.

CTR (Click-through rate): a CTR é a divisão de pessoas que abriram o e-mail por pessoas que clicaram em determinado link lá dentro. A métrica indica se o seu conteúdo foi eficiente na hora de convencer o leitor a realizar a ação proposta.

Taxa de descadastro: o descadastro, como o próprio nome indica, é quando um lead opta por sair da sua lista de emails cadastrados. Isso pode mostrar duas coisas: ou os seus conteúdos estão muito frequentes ou eles tornaram-se irrelevantes para aquela pessoa.

Descubra onde está o problema e corrija-o o mais rápido possível.

***

Viu como é simples entender o básico sobre e-mail marketing? Em alguns minutos conseguimos resumir de uma forma bem didática quais são os princípios de utilização para essa ferramenta considerada por muitos como a mais importante do mercado.

No próximo texto da série falaremos sobre automação de marketing, trazendo dicas que ajudarão muito em matéria de eficiência e resultados práticos no mercado. Até lá!

 

29/11/2016 por Amanda Pereira      Marketing de conteúdo, Marketing Digital