A curva ABC do Marketing de Conteúdo

A curva ABC é um conceito bastante usado em logística, suprimentos, produção… mas nunca abordada no universo do marketing de conteúdo. A grande importância dessa curva nessas matérias é inquestionável, visto que ela fornece os materiais/produtos acabados/matérias-primas que mais são utilizados em volume e aqueles que possuem maior valor.

No marketing de conteúdo não deve ser diferente. Se você pratica alguma atividade em conteúdo, você deve ter visualizado/percebido que alguns formatos possuem mais alcance e outros mais conversão, por exemplo. Saber, nesse nível de análise, da diferença entre os formatos vai ajudar a estruturar melhor sua estratégia para os próximos meses. No entanto, para a construção e análise de uma curva ABC condizente com seu ambiente de negócios, convém decidir qual o seu eixo X e Y. Na curva acima, vamos considerar o eixo X comoQUANTIDADE e o eixo Y como CONVERSÕES. Veja agora quais são as características dos conteúdos A, B e C (começando pelo pior):

Marketing com Conteúdo C

Analisando o gráfico acima, você pode perceber que a curva C é a que possui maior volume/quantidade, sendo aproximadamente 50% do conteúdo que você publica. Vamos dizer que são, por exemplo, a maioria de seus artigos. Eles possuem muito alcance – pois são muitos posts – porém poucas conversões (cerca de 5%).

Se você colocar calls to action ou formulários de venda nesses artigos, provavelmente o seu percentual vai cair ainda mais. Por isso, os artigos são usados pra criar audiência e fazer com que visitantes se tornem contatos, a partir da inscrição em newsletters.

Marketing com Conteúdo B

Seguindo a ordem, temos agora o conteúdo B. Dessa vez, já é um conteúdo que é responsável por 15% de suas conversões. É importante citar que nem sempre os mesmos formatos são responsáveis pelas mesmas seções nas curvas ABC. Assim como em suprimentos, em que as empresas possuem diferentes materiais em foco, em conteúdo é a mesma coisa. Determinada empresa pode ser excelente em produzir artigos – e converte com eles. Outra, no entanto, se dá melhor apenas com notas em redes sociais ou Instagram.

O conteúdo B possui formatos distintos. Geralmente, são formatos que tem como objetivo explicar soluções de mercado para problemas já compreendidos pelos seus contatos (conteúdo B geralmente é fornecido para contatos e não mais visitantes). Podem ser e-books, podcasts e guias. Como o universo de envio diminuiu de visitantes (maior parte de seu público na web) para contatos (apenas prospects que você possui dados), o seu alcance vai diminuir consideravelmente.

Marketing com Conteúdo A

O “A” é a menina dos olhos do content marketing. É aquele material que você vai enviar para o prospect certo na hora certa. É o conteúdo que vai gerar ligações de vendas e, portanto, deve ser o mais bem estruturado e estudado em sua estratégia. Não economize em entrevistas, informações/dados, efeitos visuais, animações, etc. Esse conteúdo, além de gerar mais conversões que todos os outros (80%), é o que vai te fornecer maior feedback.

Os contatos que chegam a esse ponto são prospects muito bem qualificados do funil que podem ou não estar na hora certa de compra. Por isso, escute muito bem aqueles que ainda não estão preparados para comprar – e proponha estratégias para a sua equipe baseadas em suas dicas.

A curva ABC, portanto, tem um papel enorme nas ciências de gestão. Não só em suprimentos mas até mesmo em Marketing. Seja o seu conteúdo digital, online, offline, interativo, para visitantes, clientes ou prospects, sempre tenha em mente os números e características dos conteúdos A, B e C e trilhe suas estratégias de conteúdo com mais eficiência.

cta-1

09/11/2015 por raphaelcrosa      Marketing de conteúdo